Pvhcaos - AO VIVO

Mostrando postagens com marcador C.A.O.S.. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador C.A.O.S.. Mostrar todas as postagens

sábado, 6 de outubro de 2012

Brasil

Mano Brown faz discurso contra Serra em show

Mano Brown criticou políticos durante show na capital. (Foto: AE)
O rapper Mano Brown, vocalista do grupo Racionais Mc’s, pediu, durante um show na capital paulista, para as pessoas não votarem no candidato José Serra (PSDB) nas eleições municipais. Brown, morador do Capão Redondo, na zona sul, fez um discurso em desagravo a Serra, ao prefeito Gilberto Kassab (PSD) e ao governador Gerlado Alckmin (PSDB).

Brown falou sobre distribuição de terra, sobre moradia popular e sobre as desapropriaçôes efetuadas pelos governos municipal e estadual em São Paulo nos últimos tempos.

 “Ouvi falar que serão 12 mil desapropriações até o final do mandato. Sem lugar para essas pessoas morarem, que não é um plano desse governo e dessa prefeitura que está ai. O ser humano para eles é um mero detalhe, o importante são as máquinas, computadores, ruas. Porque não é o povo deles que está aqui, que vai ser despejado e morar na rua”, disse Brow.

“O bisavô e tataravô deles foram os mesmos que escravizaram os nossos bizavôes e tataravôs. Isso é uma coisa que vem perpetuando. Já ouviu falar de cadeia pérpetua, que não acaba nunca? É isso.”


PvhC.A.O.S. - Contra todos e contra ninguém....... 

segunda-feira, 19 de março de 2012

By BBC


Com papel e lápis, artista faz obras que parecem fotografias

Hiperrealismo do escocês Paul Cadden é tema de exposição em galeria londrina.

 

 

Desenhos que podem ser confundidos com fotografias são a especialidade do artista hiperrealista escocês Paul Cadden, que é parte de uma exposição em uma galeria de Londres.

Com lápis e papel, Cadden faz desenhos ricos em detalhes e expressões.

As imagens estão sendo expostas na galeria londrina Plus One (www.plusonegallery.com), especializada em hiperrealismo.

A exposição engloba 16 artistas hiperrealistas. Mas as obras de Cadden ficarão permanentemente no local, ou até que sejam vendidas - algumas chegam a custar até 5 mil libras, ou quase R$ 15 mil.
Na opinião de Cadden, suas obras 'intensificam o normal'.
Segundo o jornal britânico The Daily Mail, o artista leva em torno de três a seis semanas para produzir cada obra.

Um porta-voz da galeria disse ao jornal que, à primeira vista, as imagens parecem mesmo com fotografias. 'Mas, vendo-as ao vivo, de perto, você percebe que é um desenho. Os detalhes são incríveis'.




 

PvhCAOS - Apreciando as belas artes. . . .




domingo, 9 de maio de 2010

NOVAS DO FDE


Por Thiago Maikel

NINGUÉM PARA O CAMARONES
Com show impecável, banda lança cd e agora sai para representar o RN Brasil afora

Na aconchegante Casa da Ribeira com público apenas razoável (meio teatro de ocupação) foi possível ver com calma e concentração total porque o Camarones Orquestra Guitarrística é hoje o grupo que mais cresce dentro (e porque não fora?) do estado.

A banda parece pronta para enfrentar qualquer situação e num palco como o da Casa da Ribeira isso fica bem claro. Tirando alguns artistas que se apresentam 2 ou 3 vezes por ano usando teatros sou capaz de afirmar que o quinteto instrumental hoje é um dos poucos grupos locais que tem realmente um show para apresentar, e melhor que isso, que pode ser apresentado em qualquer lugar, sem elocubrações “carnavalescas” de luz e adereços.

Isso acontece porque a banda reforça o que de mais importante um grupo musical tem que ter: o conjunto. Não me assustaria se descobrisse que separados, os músicos do Camarones fossem medíocres, mas quando estão reunidos em volta do set que foi apresentado na Casa da Ribeira eles se agigantam de um jeito que fica difícil se segurar na cadeira.

Foi o segundo show que vi da banda na semana e não tenho destaques pontuais. O show todo foi muito bom, tocando um set autoral seqüenciado, pensado, com efeitos inventivos e bem complementares ao instrumental e ainda tirando da cartola alguma supresas como uma versão rocksteady para os Ramones, música incidental do Franz Ferdinand e um apanhado de temas de desenhos animados reunidos num take só.

O Sex On The Beach da Paraíba foi convidada para abrir a apresentação e mostrou seu Surf Music autoral com bastante maestria com temas diversos e interessantes. Talvez deva funcionar melhor num ambiente para dançar e os músicos pareciam intimidados com o foco de luz todo em cima deles no ambiente do teatro.

Foi uma bela noitada de shows num ótimo lugar. Já espero outras oportunidades como essa.

VEJA AS FOTOS



Fonte: Anderson FOCA (risuenho@digi.com.br)